Arquivo da tag: leituras sugeridas

A comunicação na favela, do alto-falante às redes sociais

Cultura digital_02

Com edição de Raquel Paiva, a revista Viva Favela de dezembro aborda a comunicação nas comunidades, com ênfase na Maré, na Rocinha e no Alemão, refazendo uma trajetória comunicativa que vai do serviço de rádio comunitária em alto-falantes ao poder e alcance das redes sociais. Ótima leitura.

Livro sobre webjornalismo

livro_canavilhasAlguns dos pesquisadores mais interessantes na área do webjornalismo estão reunidos no livro “Webjornalismo: 7 caraterísticas que marcam a diferença”, disponível gratuitamente na rede.

Nomes como João Canavilhas, Paul Bradshaw e Ramón Salaverría, entre outros, acrescentam ingredientes a essa eterna discussão sobre as peculiaridades do meio e sete características que o constituem.

Gêneros do jornalismo gastronômico

Gastronomia: prato do dia do jornalismo cultural“, apresentado pela editora como “o primeiro livro brasileiro sobre jornalismo gastronômico”, será lançado nesta segunda, às 19h, no auditório da Livraria Cultura do Paço Alfândega (Rua Madre de Deus, s/n, Bairro do Recife), na capital pernambucana.

A autora, Renata do Amaral, envereda por um caminho que eu gosto: o estudo de gêneros. Assim, aborda o uso da crítica e da crônica na produção sobre o tema.

Livro disseca a representatividade no Brasil

Mais um livro importante está chegando: “O Congresso Nacional, os Partidos Políticos e o Sistema de Integridade — Representação, Participação e Controle Interinstitucional no Brasil“, organizado pelo cientista político José Álvaro Moisés.

A obra contém seis estudos sobre o desempenho das instituições e sua relação com a qualidade da democracia no Brasil, pretendendo medir a força do legislativo, analisar o peso dos partidos políticos, fazer um raio-x dos deputados, qualificar a representatividade feminina na política e o papel de TCU e CGU na fiscalização dos poderes.

As pioneiras do front

Essas sim são pioneiras: o livro “Death Zones & Darling Spies” resgata histórias das correspondentes da Guerra do Vietnã, em especial da autora, Beverly Deepe Keever – que ficou no país até 1969.

E não foram poucas: entre 1963 e 1973, 462 jornalistas (267 delas americanas) viram de perto o horror do conflito.

Interações em Rede

O livro Interações em Rede, organizado por Alex Primo e editado pela Sulina, trata da desilusão das utopias da cibercultura, casos específicos do jornalismo participativo e da cultura da convergência.

Vale a pena dar uma conferida.

Mídia social e agências de notícias

A Reuters bancou o estudo “News Agencies and Social Media: A Relationship with a Future?” (que foi disponibilizado na rede), do austríaco Christoph Griessner para tentar descobrir de que forma a mídia social impacta seu negócio.

A conclusão é que agências de notícias (e Griessner vai a fundo em pelo menos cinco delas) precisam encontrar a maneira de transitar e coexistir com as pessoas – em maior ou menor grau.

O que não poderão, isso é fato, se abster.

A revista Contracampo está no ar!

Mais uma edição da Contracampo, a revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense, está no ar.

Desta vez, a ênfase é na forma como a mídia trata a violência – e como isso impacta a todos nós.

Destaque para os artigos “Apostando nos riscos: como a Veja apresenta o nosso futuro”, de Ieda Tucherman e Cecilia C.B. Cavalcanti, “Os testemunhos de catástrofes nas revistas brasileiras: do medo individual à paternização midiática”, de Márcia Franz Amaral, e “A materialidade do medo: o papel da narrativa jornalística na ampliação deste estado afetivo”, de Wilson Couto Borges e Vânia Coutinho Q. Borges.

Boa leitura!

Notícias e mobilidade

Acabou de sair do forno, fresquinho, o livro “Notícias e Mobilidade”, mais uma contribuição inestimável de meu colega português João Canavilhas para a análise e reflexão da produção atual voltada aos aplicativos móveis – o que será dela daqui a algum tempo.

Canavilhas reuniu, numa única obra, trabalhos de pesquisadores de vários países. O resultado pode ser baixado gratuitamente na rede.

Confira, abaixo, o índice do livro.

Introdução – 1

CAPÍTULO 1 – UM ECOSSISTEMA EM MUDANÇA – 3

La industria del contenido en la era Post-PC: Horizontes, amenazas y oportunidades – Juan Miguel Aguado / Universidad de Murcia – 5

Jornalismo convergente e continuum multimídia na quinta geração do jornalismo nas redes digitais – Suzana Barbosa / Universidade Federal da Bahia, Brasil – 33

Linguagens e interfaces para o jornalismo transmídia – Denis Renó / Univ. do Rosário, Bogotá, Luciana Renó / Universidade Minuto de Dios, Bogotá – 55

CAPÍTULO 2 – DO PAPEL AO ECRÃ TÁCTIL – 71

Usabilidad, interactividad y contenidos multimedia en la prensa para iPad: el caso de El País, El Mundo, ABC y La Razón – Antonio Sanjuán Pérez ,Teresa Nozal Cantarero, Ana González Neira / Universidade da Coruña – 73

A estrutura da notícia na mídia digital: uma análise comparativa entre o webjornal e o aplicativo para iPad de El País – Mariana Guedes Conde / Universidade Federal da Bahia – 99

Apps jornalísticas: panorama brasileiro – Anelise Rublescki, Eugenia Barichello, Flora Dutra / Universidade Federal de Santa Maria – 121

Jornais em dispositivos móveis: experiências com resultados opostos em cidades do interior do Estado de São Paulo (Brasil) – Carlos Alberto Zanotti, Sarah Costa Schmidt / PUC Campinas – 141

Periodismo Online en Movilidad. Los Medios Nativos Digitales, del PC al iPad – Antonio Sanjuán Pérez, Teresa Nozal Cantarero, Carmen Costa Sánchez / Univ. Da Coruña – 163

CAPÍTULO 3 – TELEVISÃO E MOBILIDADE – 189

Profiling mobile TV addoption tendencies by college and university students in Portugal (Does previous individualized TV consumption influence the adoption of mobile TV?) – Luís Miguel Pato / LabCom – Universidade of Beira Interior – 191

Contenidos periodísticos audiovisuales en aplicaciones móviles de televisión – José Juan Videla Rodríguez, María-Jesús Díaz-González, Manuel García Torre / Univ. de A Coruña – 219

A configuração do audiovisual nos conteúdos jornalísticos dos dispositivos digitais: uma análise do papel desempenhado pelo vídeo na web, no tablet e no smartphone para o enquadramento do conflito na Síria – Juliana Fernandes Teixeira / Univ. Federal da Bahia – 239

La distribución de contenidos multipantalla, ¿ante nuevos contenidos mediáticos? Estudio de caso de “RTVE.es en su móvil” – Ma Isabel Rodríguez Fidalgo, Antonio Sánchez Mera / Universidad de Valladolid – 265

CAPÍTULO 4 – DESIGN, INTERFACES, GÉNEROS E AUDIÊNCIAS – 293

Produção de notícias para dispositivos móveis: a lógica das sensações e o infotenimento – Adriana Barsotti, Leonel Aguiar / PUC – Rio – 295

Design de sites web mobiles e de softwares aplicativos para jornalismo digital em base de dados – Taciana de Lima Burgos / Univ. Federal do Rio Grande do Norte – 319

Nuevos géneros en el contenido de los blogs periodísticos publicado desde dispositivos móviles – Juliana Colussi / Universidad Complutense de Madrid – 343

Jornalismo de proximidade em mobilidade – Pedro Jerónimo / Faculdade de Letras da Universidade do Porto – 363

ICT as the driving force for change in communication sciences. The case of “iVoz” by “La Voz de Galicia” as an example of the new model of relation – Maria Jose Arrojo / Univ. A Coruña – 387

Autores – 409

João do Rio

Se você não conhece João do Rio, deveria. E agora há um belíssimo motivo com o lançamento do livro “Cartas de João do Rio: a João de Barros e Carlos Malheiros Dias”, obra da pesquisadora Cristiane d’Avila editada pela Funarte.

Além de suas angústias pessoais, revelam-se nas páginas do trabalho projetos de revistas e as agruras cotidianas de um jornalista no início do século 20.

João do Rio é uma espécie de precursor do “new journalism” (anos antes do movimento notabilizado nos Estados Unidos por Wolfe e Capote, entre outros), adotando técnicas literárias no dia a dia do ofício jornalístico.

É um dos personagens mais importantes para quem pretende entender a construção da identidade do jornalismo brasileiro.