Arquivo da tag: redações integradas

Integrar ou desintegrar?

Há uma pergunta para a qual poucos possuem a reposta: afinal, é melhor juntar ou separar as redações papel e on-line?

Nesta semana, o USA Today, jornal que incutiu o conceito de entretenimento e TV no papel, anunciou a separação de corpos de sua equipe após cinco anos.

Claramente o timing e a sincronização são problemas graves quando se pretende unir plataformas tão distintas.

É possível, mas é necessário entender que só a lógica reversa, ou seja, pensar primeiro o on-line, e depois adaptá-lo ao impresso, é o caminho mais fácil para permitir que ambos caminhem juntos.

A integração é o objetivo final de um processo de convergência.

Explico: preciso de muito mais tempo para fazer virar algum projeto on-line. Logo, se ele capitanear a pauta, a chance de conseguir coisas bacanas juntos passa a ser crível _a adaptação às páginas do jornal é muito mais fácil.

Este vídeo mostra como meios de Argentina e Espanha estão se virando nesse aspecto.

E eu volto ao assunto na semana que vem, para dizer como se dá o processo em Poder, o caderno de política da Folha de S.Paulo.

A convivência forçada de uma integração de redações

O que acontece quando um grande jornal resolve integrar suas equipes on-line e off-line, e o povo do papel toma conta do produto?

Às vezes, coisas muito ruins, como o choque de culturas que o Washington Post vive exatamente neste momento.

Recentemente, dois dos maiores jornais do Brasil, Folha de S.Paulo e O Globo, decidiram integrar fisicamente suas redações, movimento que já havia sido feito anos antes por O Estado de S.Paulo.

Em todas, porém, aparentemente cada equipe segue trabalhando a sua maneira. Não é o ideal, mas nota-se boa vontade.

No Washington Post, a integração está sendo bem mais traumática. Papel e on-line viviam em mundos totalmente separados (inclusive em prédios distintos separados por um rio) e foram forçados a conviver juntos.

Essa história vai longe.