Arquivo da tag: pós-graduação

Gêneros Jornalísticos na Faap em 2011

Começo hoje, na nova turma da pós em Jornalismo Esportivo da Faap, mais um curso de Gêneros Jornalísticos, disciplina que marcou minha estreia no mundo acadêmico no já longínquo 2006, no Unifai.

Saudades daquela turma da qual vários ex-alunos já estão no mercado, buscando seu espaço.

A ideia, agora, é traçar um panorama da história do estudo dos gêneros desde a Grécia Antiga até Lia Seixas, a pesquisadora brasileira que tem se debruçado recentemente (e com muita propriedade) sobre o tema.

O objetivo? Saber identificar e classificar os gêneros é o primeiro passo para usá-los corretamente _e, assim, se dirigir ao leitor/usuário da forma mais otimizada possível.

Programa e bibliografia já estão on-line.

Pós em Jornalismo Esportivo na Faap

Além de abrir os trabalhos do terceiro ano do Webmanario, este post também serve para avisar sobre um desafio importante que surgiu pra mim em 2011: a coordenação da pós em Jornalismo Esportivo da Faap, importante instituição de São Paulo, que tem inscrições abertas para sua segunda turma.

A ligação entre jornalismo e a Faap é antiga e tem como seu momento crucial a prisão e posterior bárbaro assassinato de Vladimir Herzog, o Vlado, que era professor quando o curso ainda existia na graduação.

Era 1975 e, devido à repressão política patrocinada pela ditadura militar (vários professores e alunos foram detidos), o curso acabou congelado e posteriormente  desativado ao término da última turma, em 1979.

Por ora, voltou às salas escolares da instituição no formato de pós (já são duas: além do esportivo, há ainda um excelente curso de Jornalismo Cultural).

No primeiro módulo, os alunos serão introduzidos à história do jornalismo esportivo, sob a batuta do professor Rodolfo Martino, também coordenador do curso de Jornalismo da Universidade Metodista.

O crítico de cinema e colaborador de diversas publicações (além de professor universitário de longa ficha prestada ao ensino do jornalismo) Sérgio Rizzo trata de Esporte e Cultura, uma das disciplinas mais bacanas de todo o programa.

Nosso laboratório de produção de texto está a cargo de Murillo Garavello, um veterano do jornalimo on-line (ele fez coberturas com internet discada, acredite) hoje Editor-executivo do UOL Esporte.

Mauricio Stycer, outro decano de publicações impressas, on-line e integrante da equipe que fundou o diário esportivo Lance!, cuida do primeiro módulo de Edição e Reportagem em Impresso e Web, disciplina que acompanhará os alunos até o final do curso.

Este que vos escreve, como já é tradição, ministra Gêneros Jornalísticos, um passeio pela descrição, evolução e revolução das maneiras pelas quais nos expressamos no jornalismo desde a Grécia Antiga.

Enfim, espero que desfrutem. Em breve falarei dos professores e disciplinas dos outros módulos.

PS – Dois agradecimentos se fazem necessários: ao parceiro velho de guerra Fábio Seixas, idealizador do curso e que me confiou a chave do cofre pra dar sequência a ele; e a Ronaldo Entler, coordenador de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação e Marketing da FAAP, que sempre acreditou que esta ideia daria certo.

Leituras de domingo

#ficaadica: A revista Fronteiras-Estudos Midiáticos, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos (RS).

Coisas bacanas e boas discussões.

E o jornalismo encosta na literatura

Falei sobre jornalismo literário esta semana na Faap e passagens das vidas de Truman Capote e Hunter S. Thompson foram bastante comentadas. Inevitável lembrar dos filmes que retratam parte de suas vidas.

Ah, o resumo da conversa: apesar das literatices, o gênero foi uma importante contribuição para o jornalismo moderno. E sua vertente gonzo, o ápice de porralouquice do ofício.