Arquivo da tag: plantão

O portal sem manchete

Jornal impresso sem manchete já tínhamos visto (e faz tempo), mas neste último plantão testemunhei o portal de notícias sem título forte _pra mim, inédito.

Sensacional, segue valendo tudo o que falei há três anos.

Domingo é um dia especialmente árduo para o jornalismo on-line, e entregar uma homepage sem algo que pareça artificialmente importante (como a posição da manchete) é transparente e não faz mal ao leitor.

A morte de José Alencar e alguns segredos do jornalismo

Para quem é de fora do jornalismo, é difícil entender a previdência de certas medidas que tomamos para garantir uma vida com o mínimo possível de sobressaltos. Uma delas, e que mais choca, é o hábito de deixar pronto o obituário de personalidades relevantes do noticiário.

Neste quesito, José Alencar merece uma citação à parte. Nunca um obituário esteve tão pronto. Foram várias as oportunidades em que ele esteve a ponto de ser publicado _nem só on-line: numa noite de novembro do ano passado, pessoas foram chamadas de volta à Redação porque havia o rumor da morte do mineiro. Foi assim por várias vezes.

E os plantões? Quantas vezes fomos ao trabalho sob o risco de a morte acontecer _e modificar todos os planos da edição do dia? O temor acabou não se justificando (a morte, no final das contas, ocorreu numa terça-feira, e bem cedo para os padrões jornalísticos).

Outra crueldade oculta do jornalismo é a avaliação de quanto tempo e espaço dedicar a um morto. Para nós, é evidente que José Alencar valia muito mais como vice-presidente. Ao deixar o poder, paulatinamente foi perdendo a relevância.

São, enfim, pequenos segredos do jornalismo.

Phelps, maconha e o plantão de domingo

Michael Phelps na foto polêmica, com o 'bong', cachimbo de vidro

Michael Phelps na foto polêmica, com o 'bong', cachimbo de vidro

A divulgação de um foto de Michael Phelps (maior campeão olímpico da história) usando um “bong”, o cachimbo de vidro que é utilizado para fumar, entre outras coisas, maconha, agitou o plantão deste domingo nas redações.

Primeiro porque a imagem em si não bastava: Phelps _aliás estrela de duas campanhas antidrogas, em seu país e no exterior_ poderia simplesmente estar fumando tabaco. Aliás dois, senão o primeiro: não dá para cravar, olhando a foto, que se trata do cara. (ATUALIZAÇÃO: na verdade, há um jeito. O relógio Ômega que o nadador usa no pulso esquerdo é exclusivo. Só ele tem. Mas só fanáticos saberiam isso.)

A reação do nadador à matéria do tabloide News of the World (e tabloides são tabloides, nunca se esqueça) deu a certeza de que a história era quente e que valeria replicá-la. Sem usar a palavra “maconha”, Phelps emitiu nota oficial (por sinal, enviada com exclusividade para a agência Associated Press, algo a se investigar) desculpando-se por seu comportamento.

Houve um debate na “minha” redação: ora, se estivesse fumando tabaco, era preciso se desculpar?

E daí que maconha foi parar no título.

Outra coisa bem curiosa e de bastidor da profissão, esta na matéria original: a informação de que Clifford Bloxham, porta-voz da empresa que gerencia a carreira do supercampeão, teria oferecido ao tabloide “condições muito vantajosas” em troca da não-publicação da foto.

Quais? Ter Phelps como colunista exclusivo por três anos, contar com a presença dele em eventos do jornal e, mais, eventualmente até lucrar com anúncios dos patrocinadores do atleta.

Você cederia?

ATUALIZAÇÃO: Leia as notícias mais recentes sobre Michael Phelps

O estranho Papai Noel

É a descoberta e o relato de histórias como essas que fazem do jornalismo essa profissão tão prazerosa (do ponto de vista do inesperado, de rotinas que são eternamente quebradas).

Neste caso aconteceu nos EUA: vestido de Papai Noel, um homem de 45 anos invadiu uma festa natalina, abriu fogo e, aparentemente, ainda incendiou a casa. Pelo menos três pessoas morreram.

Lembro que foi num plantão modorrento de Natal que ocorreu umas das tragédias naturais mais espetaculares de que se tem notícia, o tsunami.

Por ora, Papai Noel assassino não é suficiente para cassar as folgas natalinas…