Arquivo da tag: Mauricio Stycer

Pós em Jornalismo Esportivo na Faap

Além de abrir os trabalhos do terceiro ano do Webmanario, este post também serve para avisar sobre um desafio importante que surgiu pra mim em 2011: a coordenação da pós em Jornalismo Esportivo da Faap, importante instituição de São Paulo, que tem inscrições abertas para sua segunda turma.

A ligação entre jornalismo e a Faap é antiga e tem como seu momento crucial a prisão e posterior bárbaro assassinato de Vladimir Herzog, o Vlado, que era professor quando o curso ainda existia na graduação.

Era 1975 e, devido à repressão política patrocinada pela ditadura militar (vários professores e alunos foram detidos), o curso acabou congelado e posteriormente  desativado ao término da última turma, em 1979.

Por ora, voltou às salas escolares da instituição no formato de pós (já são duas: além do esportivo, há ainda um excelente curso de Jornalismo Cultural).

No primeiro módulo, os alunos serão introduzidos à história do jornalismo esportivo, sob a batuta do professor Rodolfo Martino, também coordenador do curso de Jornalismo da Universidade Metodista.

O crítico de cinema e colaborador de diversas publicações (além de professor universitário de longa ficha prestada ao ensino do jornalismo) Sérgio Rizzo trata de Esporte e Cultura, uma das disciplinas mais bacanas de todo o programa.

Nosso laboratório de produção de texto está a cargo de Murillo Garavello, um veterano do jornalimo on-line (ele fez coberturas com internet discada, acredite) hoje Editor-executivo do UOL Esporte.

Mauricio Stycer, outro decano de publicações impressas, on-line e integrante da equipe que fundou o diário esportivo Lance!, cuida do primeiro módulo de Edição e Reportagem em Impresso e Web, disciplina que acompanhará os alunos até o final do curso.

Este que vos escreve, como já é tradição, ministra Gêneros Jornalísticos, um passeio pela descrição, evolução e revolução das maneiras pelas quais nos expressamos no jornalismo desde a Grécia Antiga.

Enfim, espero que desfrutem. Em breve falarei dos professores e disciplinas dos outros módulos.

PS – Dois agradecimentos se fazem necessários: ao parceiro velho de guerra Fábio Seixas, idealizador do curso e que me confiou a chave do cofre pra dar sequência a ele; e a Ronaldo Entler, coordenador de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação e Marketing da FAAP, que sempre acreditou que esta ideia daria certo.

Ruy Castro disseca Gay Talese

Gay Talese esteve na Flip e, aparentemente, provocou furor neste sábado num debate ao vivo. Bombou na web, e não é por menos: o cara tem história para contar.

Aliás, o jornalista Mauricio Stycer registrou essa faceta do repórter-escritor americano. “Mario Sergio Conti faz perguntas. Gay Talese conta historias, mas não responde nada. Cansativo”, “tuitou” ontem Stycer_quem fez o melhor resumo da participação de Talese na Flip, ao menos no Twitter.

Mais notícias sobre Gay Talese e a Flip

Mas antes ele tinha falado bobagem embarcando na carona da morte de Michael Jackson. Ruy Castro, sempre solerte, não deixou passar e opinou com propriedade na Folha de S.Paulo de ontem.

“Será que, antes do new journalism, toda a imprensa escrevia mal?”

O problema é que Talese disse que a imprensa matou MJ. E quando Talese diz, supõe-se uma ciranda de consulta ao entorno dos personagens de suas notícias.

“Talese terá ouvido isso de Michael, do psiquiatra, da enfermeira ou da babá do artista? Ou será uma suposição?”, arremata o brilhante Ruy.

Pois é, nem há nada a acrescentar.