Arquivo da tag: Ilustríssima

Lucidez, recusa, ironia e obstinação: a liberdade de imprensa para Camus

Obrigatório: o manifesto sobre a liberdade de imprensa redigido por Albert Camus em 1939 e que ficou engavetado até agora.

Nele, o francês estabelece quatro pilares para o livre exercício (“mesmo sob censura”) da profissão: lucidez, recusa, ironia e obstinação.

“Se ele [jornalista] não pode dizer o que pensa, pode não dizer o que não pensa ou o que acredita ser falso. E é assim que se mede um jornal livre: tanto pelo que diz como pelo que não diz”.

Ponto final.

Fox News, Revolução Islâmica e Carnaval

Pacotão de jornalismo na Ilustríssima (suplemento do jornal Folha de S.Paulo) de ontem.

A melhor do cardápio é um perfil de Roger Ailes e de como ele construiu a Fox News, a TV dos conservadores, mas também dos americanos brancos, interioranos e de baixa escolaridade.

O festival jornalístico do caderno prossegue com o relato do repórter Roberto Feith, que em 1979 cobriu a Revolução Islâmica no Irã e se lembra do idealismo (tragicamente interrompido, diga-se) de sua tradutora, a universitária Nasrin.

Finalmente, e para matar a saudade, um pouco dos bastidores do Carnaval da Manchete – ou de como a publicação de uma revista na quarta-feira de cinzas arruinava a folia dos jornalistas daquela mítica redação da Bloch.