Arquivo da tag: fotografia

As melhores fotógrafas da história

Um tributo a profissionais como Cindy Sherman e Annie Leibovitz (nem todas exerceram o jornalismo, mas o jornalismo bebeu, e muito, na obra delas).

Os muros vazios de Barcelona

adrian_melis

Adrian Melis nos relembra para que serve a fotografia: na série Replacement Points, apresenta o contraste dos muros de Barcelona cujas mensagens anticrise foram recém-apagadas. Grande sacada.

As origens do fotojornalismo brasileiro

Ainda dá pra ver até março, na sede paulista do instituto Moreira Salles, a exposição As Origens do Fotojornalismo no Brasil: Um Olhar Sobre ‘O Cruzeiro’, que foca na revista de informação que circulou entre 1928 e 1975 e detém, até hoje, os recordes absolutos de tiragem (versus população do país) com várias edições acima de um milhão de cópias.

Por mais importante que O Cruzeiro tenha sido para o mercado editorial brasileiro, em particular, e para o fotojornalismo nacional, em especial, não se pode perder jamais de vista o caráter chapa-branca da publicação. Assim como Manchete, turbinada pela ditadura militar, O Cruzeiro nasceu patrocinada por um ditador, Getúlio Vargas, e boa parte de seu sucesso e furos de reportagem podem ser creditados a favorecimentos mil.

Era uma época romântica do jornalismo: repórteres tinham autonomia para fretar aviões, e jornalistas em geral tinham liberdade para mentir (ficou o famoso o caso do “disco voador” na Barra da Tijuca, claramente uma manipulação deliberada da revista).

Fotógrafo da publicação, Flávio Damm fala sem rodeios sobre as armações de David Nasser (repórter venal e simpático à ditadura) e companhia em busca de mais vendas nas bancas.

Isso não significa que O Cruzeiro não tenha exercido sua importância e que ela não deva ser reconhecida. Mas não se pode esquecer de que forma, em boa medida, foi construída.

O calhau na capa do jornal que acabou

Fotografia, dizemos sempre, é um espaço nobre para imagem quente não dia, não um buraco a ser preenchido de forma ilustrativa. Em 2012, um jornal fez isso – e acabaria meses depois.

É mais um texto dos mais lidos no Webmanario em 2012.

Fotógrafo só tira foto?

Injusta e incorreta a percepção das pessoas de que a vida dos fotógrafos é bater fotos o tempo todo e participar de festas. Foi o tema de um texto publicado em janeiro é que um dos mais acessados da história desta página.

Um infográfico mostra como os lambe-lambes (com todo respeito, heim gente!) dividem suas 24 horas – em incrível discrepância com outro, que exibe o que as pessoas acham que os fotógrafos fazem.

Amanhã tem mais lembranças de 2012.

Fotocópias: a discussão sobre a apropriação indevida na fotografia

Um blog que “denuncia” apropriações indevidas de fotos conquistou o primeiro lugar da categoria internet do prestigiado Prêmio Simón Bolívar, entregue anualmente na Colômbia.

O Fotocopias Colombianas está no ar há pouco mais de um ano e, no fundo, coloca sobre a mesa a discussão sobre o que é plagiar e o que é se inspirar – um conceito, convenhamos, bastante difícil de desenhar.

O vídeo acima mostra a editora de uma das publicações apontadas se justificando numa entrevista a uma emissora de rádio. E explana, com claridade, que as referências estão aí, aos milhões. Basta saber usá-las com critério.

A propósito, a história completa está no Ética Segura.

A olho nu, entre o vídeo e a foto

Simplesmente sensacional o trabalho que fotógrafa brasileira Carol Sachs exibe em seu site Naked Eye.

Num meio do caminho entre foto e vídeo, registra o cotidiano de uma maneira doce e original – e com ótima edição.

É de boas ideias que estamos precisando.

Um homem no banheiro feminino

Duas anotações pessoais sobre o enfant terrible da hora dos sites de rede social, você me permite?

1) O Pinterest combate bravamente a ditadura do texto. Ali o contato com as pessoas que te seguem ou por você são seguidas é absolutamente dispensável. A comunicação se dá por meio de imagens.

Trocam-se escassas palavras, e na verdade o que você tem a dizer em texto pouco importa. Sua reputação é proporcional ao seu senso estético. Subjetivo.

Fazia falta uma rede onde falar com pessoas não é o foco.

2) Para um homem, acessar o Pinterest equivale a entrar no banheiro feminino. E é ótimo, passa a (falsa) impressão de que invadimos a cabeça das mulheres e entendemos seu mundo – ainda que enquanto elas olham cabelo, look e sapato, cobiçamos sex appeal, bunda e peito. Também gosto do Pint porque ele me dá a sensação de que sou o intruso espada do Saia-Justa, uma antiga aspiração.

O site pinta como um ponto de encontro estético bem simpático, sem chatices inerentes aos sites de mídia social que têm o texto – e nosso brilhante pensamento vivo – como principal funcionalidade.

Violência abortada, prêmio Esso de fotografia em 2011


A sequência acima, registrada por Epitácio Pessoa sob o título “Violência abortada”, conquistou o Prêmio Esso de fotografia deste ano (confira todos os premiados).

Conta o fotógrafo que o rapaz, com os braços amarrados para trás, seria executado pela dupla que, ao notar a presença da câmera, libertou o garoto.

Essa sim foi uma “matéria de serviço” de verdade.

Fotojornalismo, modo de usar

Se conselho fosse bom a gente vendia, né? Não.

Como outro dia voltei a falar da Magnum (a superagência de fotojornalismo que tem dado duro para sobreviver _ainternet ampliou a concorrência de todo mundo), que tal dar uma olhada em algumas dicas de fotógrafos importantes que já tiveram o trabalhado distribuído pela companhia?