Arquivo da categoria: jornalismo visual

A beleza da infografia estática

Mestre Alberto Cairo nos contou, na semana passada, uma coisa bonita: infografistas renomados que preferem trabalhos estáticos aos animados.

A explicação é singela: impressos, esses trabalhos chamam muito mais a atenção do consumidor (a quem, afinal de contas, é dirigido). Sem contar a ausência de botões ou outras informações escondidas atrás de abas.

Faz bastante sentido.

Os caminhos da informação

Meu amigo Paul Bradshaw (saudade dele, aliás) fez um gráfico interessante para organizar o caminho da informação antes da confecção de uma infografia.

Vale a pena dar uma olhada.

Dados são capazes de contar uma história

Em alguns casos o visual é tosco – o que também é importante, já que a pirotecnia muitas vezes nos desvia do objetivo proposto.

Mas os exemplos selecionados pela professora Mindy McAdams vão exatamente na linha do “dados são capazes de contar uma história” que tanto a gente tem discutido nos últimos tempos.

Entrevista coletiva

Esse cartum publicado originalmente pela New Yorker é simplesmente o máximo!

O Facebook e o amor

O site de Mark Zuckerberg sabe tudo sobre a sua vida amorosa…

Afogue em números com a Apple

Em infográfico, os incríveis números da Apple

58 exemplos do uso de dados no jornalismo

Se você gosta de dados e procura o tempo todo saber o que eles podem fazer pelo jornalismo, vale a pena dar uma olhada na lista dos 58 indicados ao Datajournalism Awards 2012, cujo resultado final será anunciado no dia 31.

Bom domingo!

A era do ‘datatainment’

Com base em informações reais, a MTV americana colocará em breve no ar seu newsgame relativo às eleições presidenciais.

O jogo usa dados dos sites Politifact, RealClearPolitics, GetGlue e Foursquare para, com base no dia a dia das candidaturas democrata e republicana, fazer os usuários ganharem ou perderem pontos. Funciona mais ou menos como os fantasy games tão difundidos por ligas esportivas.

É uma vertente agora apelidada de “Datatainment“, ou seja, uma mistura de dados e entretenimento com uma boa pitada de jornalismo.

A nação Instagram

Vendido ao Facebook por US$ 1 bilhão (mas, principalmente, acessível aos usuários de Android), o Instagram definitivamente entrou na moda. O infográfico abaixo disseca o fenômeno.

Uma proposta de redesenho do calendário


Parece algo louco – e é. Mas é da loucura que saem as grandes e ousadas ideias: nesta, a apresentação linear dos dias do mês tem o sentido de nos mostrar que nada como dia após o outro (no clássico, as semanas empilhadas no dão a sensação de que tudo vai recomeçar no quadrante de baixo).

Faz sentido? Gostaria de ouvir o mestre Alberto Cairo sobre o tema…