Arquivo da categoria: Altas imagens…

Coisa de fotógrafo, tipo “puta luz”

Altas imagens…

Doce deleite: as melhores fotos da National Geographic em abril!

Foto incrível de urso vira objeto de disputa nos EUA


Um fotógrafo (ainda que seja frila de um jornalzinho de colégio) pode separar seus cliques entre “pessoais” e “de serviço”?

Bem resumidamente, é essa a discussão entre o CU Independent (ligado à Universidade do Colorado) e Andy Duann, aluno da instituição. Duann flagrou o momento em que um urso que invadiu o campus era abatido por uma dose de tranquilizantes e viu a foto correr o mundo creditada para o veículo. Ele diz não querer dinheiro, apenas o crédito da imagem – que foi retirada do repositório da AP, primeira a distribuir a foto, justamente por causa do imbróglio.

Como bom foca, Duann diz que jamais pensou que seu clique era bom (muito menos que seria reproduzido tantas vezes. “A foto estava fora de foco”, resume.

Não sabe o que é notícia, mas se preocupa com o nominho que acompanha uma imagem. Começamos bem, garoto.

ATUALIZAÇÃO: Ah, e como não poderia deixar, o “falling bear” virou meme.

ATUALIZAÇÃO II: Uma semana depois do incidente na Universidade do Colorado, o “falling bear” morreu atropelado.

Os pioneiros da imagem noticiosa

Interessante o projeto de Amanda Emily, que está reunindo no site The Dope Sheet (“roteiro”, no jargão televisivo) histórias que relembram a trajetória dos primeiros cinegrafistas noticiosos dos Estados Unidos.

Já há no ar um ótimo material de consulta – e um bom anedotário, claro.

Síria, um ano depois

Especial da Time mostra, em imagens, um ano da crise na Síria, ou “a guerra civil em câmera lenta”, como a publicação denominou.

Os ganhadores do World Press Photo 2012

O fotógrafo espanhol Samuel Aranda conquistou o World Press Photo 2012 com a imagem que você vê acima – uma mulher abraça um parente ferido durante protestos no Iêmen.

O prêmio, o mais importante do fotojornalismo mundial, voltou seus olhos às revoltas que desde o ano passado estão mudando a cara de países árabes há décadas governados com mãos de ferro.

Confira os ganhadores de todas as categorias.

A Los Angeles dos anos 40

Uma coleção de fotos que retrata a Los Angeles dos anos 40, redescoberta anos depois, virou exposição nos EUA.

As imagens fazem parte de um ensaio de Ansel Adams para a revista Fortune.

Estadão fatura mais um prêmio – merecido – de fotojornalismo

Depois de ganhar o Prêmio Esso, o jornal O Estado de S. Paulo faturou mais um concurso de fotografia (o Prêmio Internacional de Jornalismo Rei de Espanha) com a sensacional imagem de Wilton de Sousa Junior que mostra a presidente Dilma Rousseff descendo a rampa do Palácio do Planalto – e isso em agosto, quando denúncias de corrupção e superfaturamento atingiam mais um ministro de sua equipe (Wagner Rossi, ex-titular da pasta da Agricultura).

Essa é daquelas que a gente chama de fotaça.

Minhas fotos de 2011

Um buraco no portão do canteiro de obras e eis uma visão da Arena Corinthians, que abrigará a abertura da Copa de 2014


O Sol se põe no Malecón em Miramar, na adorável Havana: o grande destino de 2011, certamente voltarei a este lugar.

Guerra do Iraque produz fotojornalistas iraquianos

É o que nos mostra o blog Lens, do New York Times.

20111223-153900.jpg

Violência abortada, prêmio Esso de fotografia em 2011


A sequência acima, registrada por Epitácio Pessoa sob o título “Violência abortada”, conquistou o Prêmio Esso de fotografia deste ano (confira todos os premiados).

Conta o fotógrafo que o rapaz, com os braços amarrados para trás, seria executado pela dupla que, ao notar a presença da câmera, libertou o garoto.

Essa sim foi uma “matéria de serviço” de verdade.