A visão do Estadão nos Anos 70

Não deixa de ser uma fina ironia: foi a visão de novos negócios, ainda nos anos 70, do grupo que edita o jornal O Estado de S. Paulo (envolto numa crise insolucionável que parece espreitada por um trágico epílogo) que, com todos os sobressaltos, é responsável pela sobrevivência de seu principal produto, o jornal impresso – ao Jornalistas&Cia, a direção da empresa tentou dar algumas respostas para esse difícil momento.

A conta aqui é simples: pioneira como agência noticiosa e, posteriomente, com base em outros serviços agregados, a Agência Estado, fundada em 1970, responde hoje por quase 80% do faturamento de todo o grupo. É de onde sai o dinheiro que financia os outros departamentos, notadamente jornal e rádio, ambos deficitários.

É uma demonstração de que a ousadia e o passo à frente da concorrência podem ser determinantes para a sobrevivência de um negócio. Ainda que estejamos falando de um modelo que luta a duras penas para seguir existindo, é inegável que aquele passo, há mais de 40 anos, foi crucial.

Em tempo: o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) suspendeu as cerca de 50 demissões ocorridas na semana passada em O Estado de S. Paulo por conta de nova reformulação (ou “redesenho”). Hoje as partes devem se reunir no tribunal numa audiência de conciliação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s