Fora de pacote de desonerações do governo Dilma, indústria jornalística é incluída aos 45 do segundo tempo

Num primeiro momento, a presidente Dilma Rousseff deixou as empresas jornalísticas de fora da desoneração da folha de pagamento, que reduzirá de 20% da folha de pagamento para até 1% do faturamento a contribuição ao INSS para 15 setores, teoricamente incrementando sua capacidade de investimento.

Na sexta-feira, ampliou as benesses da medida para outros 14 setores, entre eles a indústria jornalística – para os retardatários, porém, só a partir do ano que vem.

A justificativa oficial para o veto inicial menciona que a indústria jornalística (assim como outros 18 setores então barrados) não apresentou “as estimativas de impacto e as devidas compensações financeiras”.

Na prática, isso significa que o governo duvida da potencial das companhias jornalísticas em fazer novos investimentos.

Como já tratamos aqui, a presidente conhece bastante bem a realidade desse mercado. A ajuda, nesse caso, poderá vir de outra forma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s