Jornalista faz greve?

É bissexto e se contam nos dedos as greves que paralisaram o trabalho de jornalistas no Brasil.

A mais célebre foi a de 1979, capitaneada pelo sindicato de São Paulo.

Numa rápida busca encontrei o que poderia ser taxado de protesto em A Tarde, em 2001 – o cruzamento temporário de braços também ocorreu em 1992, no Diário do Grande ABC. Ambos os movimentos, porém, não impediram os jornais de irem às bancas.

A imagem abaixo está circulando em redes sociais com o objetivo claro que alertar o consumidor de notícias sobre as condições em que vários colegas desempenham a profissão. Há a pretensão de se organizar um “dia nacional sem notícias”.

Costuma-se dizer que jornalista não faz greve porque, afinal de contas, quem iria noticiar o movimento?

De toda forma, passou da hora de a categoria refletir mais seriamente sobre a condição de capacho de empresários, muitos deles aventureiros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s