A falsa interação

No mesmo dia, Folha de S.Paulo e o espanhol ABC abordam um tema sobre o qual se sabe mas pouco se fala: a compra de popularidade em redes sociais.

Há muito tempo já dissemos aqui que número de seguidores ou fãs não é termômetro para detectar qualidade de interação com o público, ainda mais quando se trata de uma legião de zumbis ou robôs que nada acrescentam à conversação.

Quando alguém chega pra mim dizendo que seu objetivo nos sites de rede social é ter um milhão de amigos, a solução está na ponta da língua: “custa tanto” – um pacote de mil curtidas, por exemplo, vale R$ 400.

Twitter e Facebook não servem para nada se não quisermos nos relacionar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s