Google+ na encruzilhada

“Ninguém quer outra rede social agora”, frase de um analista de mídias sociais citado pelo The Wall Street Journal, não é exatamente precisa para resumir o momento do Google+, outra incursão em mídia das pessoas da multiempresa de Larry Page e Sergei Brin.

Não é precisa porque o Pinterest (mural de cortiça eletrônico) provoca algum buzz no momento em que a rede do gigante das buscas estagnou em 90 milhões de usuários que pouco fazem por lá – um script que lembra o finado Wave, iniciativa da mesma empresa.

Dados da Comscore dão conta que em janeiro (só nos EUA, e sem levar em conta o acesso móvel, o que tornaria o placar ainda mais vexaminoso), os usuários passaram em média meros três minutos mensais no Google+ (contra 405 no Facebook, 89 no Tumblr e, pasmem, 88 no bebezinho Pinterest).

Sem participação ativa dos usuários, não há site de rede social que sobreviva. Que digam os anunciantes.

Uma resposta para “Google+ na encruzilhada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s