Nas asas da Panair

Clique e veja mais fotos do Museu da Aviação, mantido pela TAM em São Carlos (SP)

Quem conhece bem o Webmanario (daqui a pouco vamos para quatro anos no ar, acredita?) sabe que aviação é o único off-topic tolerado aqui. Nem Corinthians eu consegui transformar num tema eventual de meu próprio site.

Aviões apareceram certo dia nesta página por causa da Vasp e de suas agruras _e aqui permaneceram, para sempre, porque uma legião de fãs e ex-colaboradores da companhia de alguma forma transformou essa esquina onde se discute jornalismo num ponto de encontro para falar da empresa, de memórias, de bons tempos.

Esta semana tirei mais poeira da minha memória da aviação brasileira: fiz uma visita ao espetacular museu mantido pela TAM em São Carlos (a 250 km de São Paulo), onde um Lockheed L-049 Constellation domina o cenário.

Fabricada em 1946, a aeronave estava há mais de 30 anos “congelada” no Paraguai por conta de um imbróglio tributário.

Nas mãos da TAM, foi meticulosamente restaurada e, como homenagem, ganhou as cores da Panair, primeira grande companhia aérea do Brasil, que operou entre 1929 e 1965 e introduziu o maravilhoso Constellation no país _teve 14 equipamentos do tipo na frota.

A Panair é do tempo em que voar significava ser servido com copos de cristal, talheres de prata e pratos de porcelana (o museu tem tímido acervo disso, exibido aos pés do Constellation _não é o caso de se juntar mais coisa para um digno registro de um marco do aviação nacional?).

A trajetória da empresa também foi muito mal contada pelo jornalismo. O episódio da abrupta interrupção de seus serviços, há 46 anos, jamais foi explorado como deveria (ATUALIZAÇÃO: o livro “Pouso Forçado”, de Daniel Leb Sasaki, foi lançado em 2005 e reconstitui os fatos).

A falência da companhia foi decretada pelo governo Castelo Branco sem sustentação judicial que justificasse a extrema medida. Forjada nos Anos JK, perseguido pelo regime militar, a Panair pagou uma conta pesada demais.

Só o documentário “Panair do Brasil” (2008), de Marco Altberg, tentou pôr os pingos nos iis.

E, num trabalho arqueológico de pesquisa, resgatou imagens sensacionais de, por exemplo, os Lockheed L-049 Constellation da aérea em pleno voo – o avião foi idealizado pelo visionário Howard Hughes, que o grande público conhece pela atuação de Leonardo DiCaprio em “O Aviador“.

A Panair merece um museu só pra ela.

3 Respostas para “Nas asas da Panair

  1. Constellation rox! É o avião de carreira mais bonito jamais feito. O prosaico 737 segue em 2º lugar, meio longe.

  2. Pingback: As dez mais lidas de 2011 no Webmanario | Webmanario

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s