O ativismo bobagento da academia

O ativismo bobagento da academia em relação à imprensa não tem fim: eis que repasso a última edição da revista da E-Compós (Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação) e encontro o trabalho “O Programa Bolsa Família na Revista Veja: assistencialismo governamental ou ressentimento midiático?”, de Jose Luiz Aidar Prado e Moassab Andréia.

O trabalho é sóbrio, diga-se, mas tenta conectar Veja a uma corrente de pensamento que, de alguma forma, estaria “desvirtuando” a análise sobre o principal programa de redistribuição de renda do governo federal.

A academia deveria parar de usar material jornalístico como parâmetro de conceituação. É um desconhecimento sobre o nosso trabalho: os veículos não têm essa importância toda e, mais, muitas vezes os conceitos vão e vêm, a depender do espaço editorial disponível.

A academia não é lugar de Fla-Flu, gente.

http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/view/531/492

6 Respostas para “O ativismo bobagento da academia

  1. Concordo com você. O trabalho jornalístico deve ser utilizado por pesquisadores para situar o leitor no contexto em que ele se encontra ou para ajudar a confrontar opiniões, mas raramente serve como base científica.

    • Caro, você disse melhor o que eu pretendia dizer. É exatamente isso. O jornalismo como base para metodologia científica é um desastre.
      abs

  2. Não acredito que alguém acredita que se pode acreditar sobre a possibilidade de se “pesquisar” algo jornalismo. Fico imaginando um projeto de pesquisa para doutorado! É muito euachismo para 200páginas. Me meti num projeto de dissertação sobre um jornalista, John Stuart Mill. Mas daí na filosofia! Minha sorte: ele foi mais filósofo do liberalismo que escriba das redações. Jornalismo acadêmico, infelizmente, consegue ser pior que aquilo que acontece na prática. Cada vez mais acho que é um círculo vicioso. Só explodindo e começando outra vez. Otimismo numa hora dessas é mau caratismo.

  3. A academia não tem que se meter com a imprensa, mas a imprensa pode palpitar na academia?

    • Não, a academia eh que não deve tratar o jornalismo com suposto rigor cientifico – e, pior, viés.

      Se for só pra palpitar, deixa para o jornalismo…

      E antes de mais nada que fique claro (se você não sabe) que estou nos dois ambientes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s