O polvo Paul e o ridículo no jornalismo


Não tem nem dois dias que eu ressuscitei uma entrevista do goleiro Rogério Ceni (na qual o cara falava sobre encarar esporte como entretenimento), e me deparo agora com um texto que avalia a corrida do jornalismo ao polvo “vidente” Paul como uma babaquice sem tamanho, uma jogada da marketing do aquário de Oberhausen, na Alemanha.

É nessas horas que o ditado “nem tanto ao mar, nem tanto à terra” faz muito sentido. No texto, o crítico questiona os poderes sobrenaturais de Paul _ele próprio causando mais ridículo do que a situação em si.

Nosso amigo não percebeu que se trata de uma brincadeira divertida, com altíssimo potencial de audiência, mas que não deveria ter qualquer tipo de explicação. Procurar biólogos para explicar os “dons” de Paul, é verdade, também é estúpido (sim, o jornalismo fez isso).

Há momentos em que tudo o que o jornalismo precisa é de uma feature. Isso mesmo, um tratamento lúdico a uma não notícia capaz de divertir a audiência. O diversionismo pelo diversionismo.

Mas tem gente que não compreende como o humor pode fazer bem à profissão.

30 Respostas para “O polvo Paul e o ridículo no jornalismo

  1. O jornalismo precisa destes respiros. Concordo, é a diversão pela diversão. Mas não acho exageros, por exemplo, buscar alguma explicação dessas coincidências na Biologia. O polvo pode ser atraído naturalmente por uma certa combinação de cores, por exemplo, justificando a escolha. Se tiver argumentos, claro. Se não tiver, é especulação boba.

    Mas não é mau jornalismo. São apenas respiros.

    Abraço.

    • Murilo,

      Ainda mais que o polvo nem sequer vê as cores das bandeiras, segundo informou o aquário. Enfim, a brincadeira é ótima e tem de ficar nessa: apenas brincadeira. Qualquer coisa além disso expõe a gente aqo ridículo…

      abs

  2. Concordo com você que seja para divertir, mas a partir do momento em que se torna um dos (talvez o maior) temas mais importanes da Copa, há algo errado, não? Manchetar o polvo em um dia em que Ricardo Teixeira fala na África do Sul dos problemas da Copa no Brasil me parece um disparate. ABraço

    • Viel,

      Houve quem manchetasse? Não digo no jornalismo on-line, onde esse tipo de coisa é mais frequente (e menos grave).

      abs

  3. Não consigo acreditar que foram procurar biólogo pra explicar os “poderes” do polvo, hahahaha

  4. é o tal do fait divers, né?Afinal de contas, ninguém aguentaria um jornal de meia hora sem eles.
    O tenso é que criaram uma fórmula de fazer um fato render demais. Eleição por exemplo, remoe cada um dos releases dos candidatos pra virar matéria. Causos como o do goleiro esquartejador precisam render matérias todo dia. Não tem mais nada nessa história. Acabou. E mesmo assim, tem canal que vai fazer 25h de programação semanal com essa história. A Sonia Abrão é mestra na arte de requentar matérias. Fazem um brainstorm e TUDO QUE SAIR DELE deve acabar sendo produzido, não é possível que haja qualquer seleção. Se não, a qualidade seria um pouco melhor.

    • Jota,

      A Sonia Abrão faz uma coisa que o jornalismo on-line faz, que é a leitura da concorrência. Sobre o CAso Bruno, é o crime do momento, não tem como não cobrir exaustivamente.

      O povo Paul é a brincadeira, a diversão da Copa. Tornar isso uma coisa séria (e bem por isso insisto no entretenimento, será que não seri melhor assumir isso de vez) é o tropeço da cobertura…
      abs

  5. Mesmo que o polvo visse as bandeiras (e a visão dele é bem melhor que a nossa em alguns aspectos, como a nitidez, e pior em outros, como a percepção de cores…) e mesmo que ele tivesse predileção por uma bandeira ou outra, isso não tem nenhuma relação com a partida em si: trata-se apenas de um cara-ou-coroa.
    que hajam pessoas leigas se perguntando se o Paul poderia estar de fato prevendo resultados, apesar de ser insensato, é algo normal… mas jornalistas querendo investigar? é ridículo mesmo…
    abraço.

    • Gerardo,

      E biólogos se dispondo a falar sobre isso? É querer aparecer, não? Quando abre-se a jaula no jornalismo, é duro segurar a boiada…
      abs

  6. Puxa, o polvo não tem, de verdade, poderes premonitórios?

    Agradeço MUITO ao artigo linkado por me esclarecer disso…

  7. Então, Alecduarte, concordo que rola uma diferença – abissal – entre os casos. E acho bastante saudável falar do polvo, coitado, que não faz malç a ninguém. Mas quando chamam um biólogo pra descobrir pq o polvo advinha os resultados, estão fazendo a mesma coisa que a dona Sônia faz, requentar notícia, esforço intelectual em descobrir qualquer coisa que possa sewr relacionada a uma notícia pra encher o programa e dar um fato que vende.
    É bem tenso.

    E , pô, o jornalismo on-line (e oe os blogues que comentam jornalistas, que considero estarem no mesmo barco) fazem leitura comentada da concorrência, discutem a mídia de forma geral, o que transformou a leitura da página 2 e dos editoriais. É o material de trabalho dessa galera. O que a Sonia Abrão faz é encher o programa com qualquer coisa que esteja relacionada ao tema da vez, mesmo que feito pela concorrência, ou mesmo que o tema seja a concorrência.

    • Não acho, Jota, na verdade estão indo além (ainda q de forma ridícula), pq dona Sônia para naquilo q foi publicado, não avança, ainda que errando.

      Ou não?

      abs

  8. a Sport TV contratou o polvo.

  9. relendo meu comentário, fiquei com uma má impressão: os blogueiros que comentam editoriais estão no mesmo barco dos jornalistas, que fique bem claro.

    Então, para a Sonia Abrão, dar o que saiu na concorrência é uma maneira de encher o programa, assim como visitar a porta da casa do acusado, ou a escola onde estudou a mãe do menino, enfim, vai catando tudo que ocorrer e produzindo. Chamar o biólogo e outras baboseiras são o mesmo tipo de apelo gratuito.

    P.S.: parabéns pelo blog, curti bastante.

  10. O jornalismo místico, supersticiosos, a meu ver não merece discussão, simples conhecidência , o povo anda descrente de Deus por isso se apega a este tipo de especulação espiritual, que vidente que nada, tolice!!!.

  11. Acho que a bola da vez agora é o Tiago Leifert dançando rebolation, é. (cena da central da copa de ontem 😉

    Enfim, ao polvo. Ainda acho que os alemães tem que cumprir a promessa de jantar o polvo.
    Sabe, mais bobagem do que chamar um biólogo para tentar explicar coisas que não se explicam (a antiga mania da ciência de querer explicar ocultismo) foi o que eu vi ontem, não lembro em qual programa, mas provavelmente Fantástico: um polvo brasileiro, acho que se chama Roscana, que estavam querendo transformar em vidente… Achei aquilo pior do que chamar o biólogo… Achei que aquilo foi querer tirar a última gota de possível assunto que se relacionasse com isso, e a matéria ficou sem graça, sem sal e açúcar, ficou horrível.
    Mas, enfim, depois eu fiquei mais feliz porque começou a central da copa, e eu vi o Leifert.

    beeijo :*

    • Tiago Leifert está pronto para se tornar um integrante do Pânico. Parabéns a ele.

      • alecduarte

        Andrei,

        Será? Noto muito mais nível ali, apenas o excesso de informalidade, mas que se tornou um trunfo hoje. Ou não?

        abs

      • Tenho pensado muito sobre isso. Em geral, o Tiago segura a onda, mas o problema está justamente nos exageros.

        O Globo Esporte é o programa jornalístico diário sobre esportes da Globo. Mas, com essa história de tudo precisar ter um tratamento informal e até bizarro, eles invertem valores e acabam dando mais atenção, por exemplo, a uma votação sobre quem é o jogador mais “bonito” (zoando o cara, na verdade).

        Há tanta coisa mais importante do que esse “concurso”… Não sou contra dar um tratamento mais leve às notícias, mas às vezes eles passam dos limites, deixam o jornalismo totalmente de lado e ficam no campo do entretenimento barato, pura e simplesmente. Assim como faz o Pânico na TV, que pelo menos não tenta ser jornalístico.

        Até entendo que talvez o telespectador prefira dar risada na hora do almoço. Mas essa é aquela velha discussão entre “o que o público quer” x “o que é necessário noticiar”.

  12. ah, e eu também mando parabéns ao blog, ficou muito bom. (:

  13. achei a matéria…

    http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1605858-15605,00-POLVO+BRASILEIRO+DA+PALPITE+LEONARDO+SERA+O+TECNICO+DA+SELECAO.html

  14. edélcio cândido

    #Eu sou brasileiro caraio! Parabéns, Alec. Vc é o cara.

  15. CAROS AMIGOS Este é o mal do ser humano: Levar tudo na brincadeira! As pessoas adoram e veneram políticos, artistas, jogadores, novelas, músicos e mais outros lixos. Fazem tudo por estes lixos; pagam, brigam, morrem por estes lixos; e quando uma pessoa, criança ou animal necessita de ajuda ou apoio, ficam com piadas idiotas e desprezo. Acho que todos os males e maldições sobre o Ser Humano são justas!
    O Ser Humano é egoista, cruel, injusto, preguiço, vagabundo, ingrato, criminoso e mau caráter. Está bom? Querem mais? A Terra, a Natureza, os Animais, os Vegetais, e as Crianças estão sofrendo por causa do Ser Humano. O polvo Paul é mais uma das bilhões de vítimas que morrem por causa do egoismo e lucro que as pessoas “acham” que podem obter. O Ser Humano é mais primitivo que os primeiros trogloditas há milhares de anos.
    De qualquer modo, as pessoas devem continuar como são porque, no final, veremos que sobrará e será salvo!
    Obrigado
    Ademar

  16. pois é, maldito ceromano…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s