O Facebook como ferramenta de auxílio a entrevistas

O jornalista André Lobato, da Folha de S.Paulo, fez uma experiência interessante neste final de semana: usou o Facebook para entrevistar (de forma pessoal, não solicitada pelo periódico) a deputada federal gaúcha Manuela Davila.

Sua primeira observação é que a ferramenta é pouco ágil para este gênero jornalístico: aguardar as atualizações (ou seja, as respostas do entrevistado) tomou muito mais tempo do que sugeria. No final das contas, uma “conversa” de cerca de 30 minutos se reflete em pouco conteúdo digitado.

A vantagem é a quantidade praticamente ilimitada de caracteres e o registro permanente, ainda que num ambiente onde seus dados não pertencem a você, mas ao Facebook.

Não posso afirmar que tratou-se da primeira entrevista no Brasil via a rede social, mas certamente foi uma das primeiras. Bem por isso o registro aqui. Se você conhece outras iniciativas do gênero, me avise.

13 Respostas para “O Facebook como ferramenta de auxílio a entrevistas

  1. Qual a probabilidade de se ter um perfil falso no facebook? A pergunta é leiga mesmo. Independentemente da resposta, existem as limitações de sempre de uma entrevista não in loco. Mas a iniciativa do repórter é louvável quanto à experimentação.

    • Grande Rossi,

      No Facebook existe uma preocupação com a identificação dos perfis, por meio de uma série de dados inseridos quando da criação deles. Porém é claro que existe essa chance (ela sempre vai existir, sempre é possível ludibriar uma máquina). Neste caso, o melhor a fazer é, antes de se pensar numa entrevista pelo meio, é certificar-se de que a pessoa contatada é, de fato, ela mesma. Como ? Com as mesmas ferramentas de sempre da apuração jornalística: da checagem in loco ao telefonema.

      abs

  2. Pingback: Usando Facebook para entrevistas periodísticas | Clases de Periodismo

  3. Alec,

    Não é a primeira entrevista através das redes sociais. Em 2 de maio de 2010, o jornalista Ricardo Noblat, do Blog do Noblat, fez uma entrevista com o candidato ao governo do RJ, Dep. Fernando Gabeira, pelo Twitter.

    Inclusive, o Noblat pegava perguntas dos usuários e encaminhava ao candidato.

    Abraços,

    • Henrique,

      Não pensei em redes sociais, mas no Facebook mesmo. De toda forma, não posso afirmar (nem acredito) que tenha sido a primeira ali.

      abs

  4. Serve msn? hehe
    As redes sociais podem ser ótimas ferramentas quando se precisa falar com uma fonte.
    Mês passado, consegui um contato exclusivo com uma fonte norte-americana usando o Facebook. Mas a entrevista não foi por essa via. Com medo que ele pudesse desconectar, a primeira coisa que fiz quando consegui falar com o sujeito foi pegar o telefone dele. Aí o resto foi só alegria.
    Isso sem falar que alguns políticos são mais propensos a responder seus seguidores no Twitter do que atender o telefone. Já fiz uma pequena entrevista por Twitter, usando DM, mas não cheguei a usar.
    Abraços

    • Ladislara,

      É isso: as redes sociais são ferramentas que estão aí para nos servir, não para nos atrapalhar. Cada um saberá encontrar um uso adequado para elas em sua profissão. No caso da nossa, facilitaram imensamente a tarefa de encontrar pessoas.

      abs

  5. muito bom cara!

    pra uma reportagem pra universidade eu entrevistei uma menina pelo formspring.. como meu tema era redes sociais a entrevista entrou quase como ilustração. eu acho q o bom (ou o ruim) do facebook é a exposição e a disseminação q a entrevista sofre, principalmente com os comentários dos usuários ao mesmo tempo, muito boa mesmo, certamente vou fazer um post no meu blog abordando isso!

  6. Estudo jornalismo na PUCRS e fiz uma entrevista no ano passado via twitter. Tive a mesma impressão. Apesar da velocidade da internet, o tempo de aguardar a resposta é maior do que em uma conversa falada. Sem contar o problema dos 14o caracteres do twitter.
    Link:
    http://cyberfam.jor.br/2009/10/15/famequiana-e-responsavel-pelo-twitter-do-tecnico-mano-menezes/

    • Aline,

      Sempre que escrevem, as pessoas tendem a reler e até reformular pensamentos. Isso ajuda em aumentar a demora nas respostas…

      Parabéns pela iniciativa!

      abs

  7. Entrevista via facebook? Achei interessante, não tanto para entrevistar brasileiros, pois como sabemos eles ainda são minorias nessa rede social. Mas deve ser ótimo para entrevistar estrangeiros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s