O jornalismo que não tem graça nenhuma

Existe “jornalismo humorístico”?

O professor José Luis Orihuela crê que sim. Tanto que há uma peça do gênero entre os trabalhos finais de seus alunos neste semestre em Navarra.

Nada contra o humor (aliás, o jornalismo precisa de doses dele), mas discordo. No máximo admito formatos humorísticos com linguagem jornalística _caso do bobagento CQC, várias vezes confundido com jornalismo.

Aliás, sobre o CQC: algumas vezes já me perguntaram se eu teria coragem de fazer as perguntas que alguns dos “repórteres” do programa perpetram. Claro que não, né gente, afinal de contas eu sou jornalista, não humorista. São funções bem diferentes. Se vivesse de piada, certamente eu seria ainda mais inconveniente.

Fazer graça com as notícias, via de regra, não tem a menor graça.

Olha o caso do The Onion, considerado o principal exemplo de esculhambação do noticiário: “Desastre da Air France foi causado por queda de avião“.

Nossa, estou rolando de tanto rir.

Uma resposta para “O jornalismo que não tem graça nenhuma

  1. Pingback: Nem o ‘jornalismo erótico’ escapa da crise « Webmanario

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s