O monstro chamado linkagem externa

A linkagem externa é encarada como o monstro do pântano nas redações on-line. Muito disso deve-se, importante ressaltar, à política das empresas de comunicação de evitar citações e (deus me livre!) hiperlinks para sites alhures.

Eu defendo a tese que, diferentemente do que muitos pensam, linkar para outros sites, além de estar no próprio bojo da criação da web, atrai gente. Reza a lenda que, quando dou um link externo, o freguês se perde na rede e jamais retorna.

Tenho visto situações opostas a esse quadro: os usuários regressam a páginas que, sabidamente, os levam a lugares legais da internet. É mais do que obrigação histórica, é serviço.

Por isso que é bacana este texto sobre a escala, em nove degraus, do seu relacionamento com a linkagem externa. Faça o teste.

(via @anaestela)

10 Respostas para “O monstro chamado linkagem externa

  1. Muito boa a postagem. Chega deu vontade de escrever sobre. Parabéns. Mais tarde vou comentar . Um abraço.

  2. Alec, concordo plenamente com você e considero burrice não compartilhar os links que você pode dar. A serendipidicidade pode fazer você se perder, mas a fonte dos bons links se consagra. Quem navega conhece o melhor porto. Um bom debate é o proposto pela link economy: cover what you do best, link to the rest. Se você quiser dar uma olhada, tenho um post no interatores que vai por aí: http://interatores.ning.com/profiles/blogs/o-mundo-vai-acabar-de-novo

  3. Na verdade, acredito que os sites evitam links externos porque eles acabam diminuindo a relevância no mecanismo de busca no Google. Quanto mais sites linka para a gente, mais relevante somos; quanto mais links damos para os outros, menos. Acho que não tem a ver com fazer ou não o leitor se achar, mas fazer o site ser achado. É o SEO.

    • Renato,

      Se o algoritmo do Google está programado assim, eu só lamento. Eu tenho de ser reconhecido pela minha competência em guiar as pessoas por meio da internet. Esse reconhecimento compensa eventuais desvios de SEO que me coloquem em posição abaixo num mecanismo de busca.

      abs

  4. Pois é, mas para sites comerciais e que dependem de anúncio, isso é importante. Hoje, a maioria das grandes empresas de internet tem departamentos de SEO, porque ser achado é a maneira mais eficiente de ter audiência –já que todos têm praticamente o mesmo conteúdo das agências. O diferencial acaba sendo só a posição que aparecem no Google. Não é que eu ache isso legal, muito menos o melhor dos mundos. Mas é o que está acontecendo.

    • Renato,

      concordo totalmente contigo, o SEO é importante não apenas para sites comerciais e que dependem de anúncio. Aparecer nas buscas, a principal porta de entrada hoje da web (desbancando a home page), é fundamental. O que eu questionei é o fato de, se eu der muitos links (variados, a lugares distintos), tender a cair nessa apresentação, como você expôs. Isso sim é que está completamente equivocado.

      abs

  5. Alec,

    muito bom o seu texto e muito boa a discussão gerada aqui nos comentários a partir dele.

    Acho fundamental que as matérias tragam os links. Não porque nós, leitores, tenhamos preguiça de ir buscar uma ou outra fonte, mas porque saber de onde veio a informação e poder analisá-la é muito bom.

    Além do mais, sabemos que são poucos os leitores que gostam de ir além do fato noticiado, mas aqueles que o fazem, gostam de fazê-lo e têm prazer em buscar informação adicional.

    Abraço.

    • Wellington,

      Sua argumentação é perfeita. É exatamente por isso que, sem linkagem externa, faz-se jornalismo on-line capenga.

      abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s