O tremor, a interação e o microblogging

São Paulo sentiu a força do tremor de 5.2 na escala Richter a 270 km de distância, e quando isso acontece (um fato que irrompe no cotidiano de muitos), o jornalismo participativo ganha destaque nos portais. É a ocasião em que a pauta, essa ferramenta quase esquecida no cotidiano das iniciativas que contam com a ex-audiência, surge e ordena o trabalho do cidadão jornalista, corrigindo grave distorção.

A priori, um terremoto sem danos não é fotografável, mas sim digno de registro em vídeo (coisas balançando sozinhas fazem tremendo sucesso). Na falta disso, sobram apenas os relatos. “Apenas” porque a gente sempre quer (e precisa ter) mais na Internet.

Na hora em que escrevo (0h45 desta quarta), só o G1 havia levado o assunto para sua página interativa. E ninguém, entre os portais que incentivam a interferência dos leitores, tinha vídeos “caseiros” para exibir.

UOL e Terra preferiram abrir fóruns de discussão. Estadão e O Globo, sempre ligados na liturgia da interação, nem sequer tinham pautado seus leitores sugerindo que enviassem material sobre o raro abalo sísmico genuinamente tupiniquim.

A Folha, que raramente incita o usuário a interagir, já estava lá de madrugada pedindo participação dos leitores.

Bem antes disso, quando a metrópole mal acabara de sacudir, o 8bitsemeio notava que o furo de reportagem, desta vez, foi do Twitter.

E viva o microblogging, ferramenta jornalística sim, e cidadã também, como não?

5 Respostas para “O tremor, a interação e o microblogging

  1. Alec, estou em Santos e dava aula no Guarujá (tudo próximo do epicentro!) quando ocorreu o abalo. Não, não sentimos nada. Mas para nós o abalo sísmico mais interessante é o provocado pelas web social. Que interessante os portais e sites pedindo relatos e material dos usuários! E essa história do Twiiter é demais. Quando surgiu esse troço eu me perguntava “pra que serve isso?”. Taí: serve para dar furo de reportagem. Boa sacada seu post. E just in time!

  2. Renato:

    Vale a máxima da web, não importa para o que dizem que serve determinado software, mas sim a funcionalidade que você vai dar!

    abs

  3. Pingback: Faça o que eu digo, não o que eu faço « Webmanário

  4. Pingback: Na hora da tragédia, as redes sociais funcionam « Webmanário

  5. Pingback: Mais um tremor e, de novo, o microblog dá o furo « Webmanário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s