Os malfadados blogs

Tenho profunda ojeriza à palavra blog. Não exatamente à palavra, mas ao que ela foi reduzida pelas instituições e pessoas que enxergam ali apenas um palco para exibir e expressar seu brilhante pensamento vivo, deixando de lado todos os preceitos que norteiam a plataforma (a não ser, por impedimento técnico, a ordem cronológica inversa de publicação, item que por si só não basta para que se ganhe o carimbo).

Uma pesquisa divulgada ontem vai exatamente ao encontro do que eu estou falando. A Ball State University rastreou as patacoadas autodenominadas blogs de 360 jornais norte-americanos. E o resultado, pífio, revela que a presença na Internet por meio desse modelo se deu basicamente por causa de modismo.

É aquele fenômeno sobre o qual já discorri outro dia (“ei, alguém falou que isso é bacana, precisamos ter isso urgente!”).

Além de ignorância sobre suas potencialidades, os jornalistas que assumiram blogs nos veículos analisados também demonstraram desprezo à participação do usuário (80% jamais responderam a indagações de seus leitores _que mesmo assim, em 60% dos casos, reincidiram em seus comentários).

O levantamento apontou ainda que nada menos do que um quarto dos blogs foram atualizados de forma deficiente ou simplesmente seus responsáveis nunca mais foram vistos on-line.

Não duvido que os dados da pesquisa de Ball State com jornalistas políticos inseridos no mainstream se enquadrem perfeitamente numa fatia bem considerável de toda a blogosfera.

O Technorati, maior ferramenta rastreadora de posts, diz que existem hoje 113 milhões de blogs no mundo (120 mil são criados por dia, ou 1,4 por minuto). Porém cerca de 50% são logo abandonados (e olha que, nesse critério, o Technorati é bem benevolente: considera “ativo” um blog que tenha sido atualizado pelo menos uma vez em 90 dias, o que é uma catástrofe sob qualquer ponto de vista).

Não por acaso essa avalanche de descaso deleita o polêmico Andrew Keen, autor do irascível “The Cult of the Amateur” (livro-referência sobre a participação da “ex-audiência” na sociedade atual).

6 Respostas para “Os malfadados blogs

  1. Pingback: Blogueiro Repórter: mais uma tentiva de colaboração « Webmanário

  2. opa cara muito bom seu post

  3. Pingback: A insanidade dos trolls ativistas políticos « Webmanário

  4. Pingback: Navegando pelos primórdios dos blogs « Webmanário

  5. Pingback: Webmanário, 1 « Webmanário

  6. É revoltante ver que inúmeros servidores hospedam sites abandonados e muitas vezes vazios,isto diminui as possibilidades de escolha de login e aumenta as opções “premium”,que na verdade oferecem serviços banais para que qualquer site/blog possa crescer (memória,temas,ferramentas avançadas,etc).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s